Consciência Alimentar

Para que as suas decisões sejam sustentáveis, elas tem que vir de dentro para fora. Tem que fazer sentido para você. Por isso são estáveis. Por isso te fazem feliz. Existe respeito e compreensão paralelo ao esforço e a dedicação. Entre em contato com seus valores, com a sua intuição. Marque sua trajetória com pegadas de cuidado. Só você pode saber seus limites. Busque a verdade e tome as suas decisões. Assuma a sua responsabilidade. Lembre-se que sempre tem mais alguém que confia em você. Construa a sua Consciência Alimentar :)

Debhora Medeiros

"

"

 

Sustentabilidade

(Adaptado de Nutrição Funcional e Sustentabilidade -  VP Consultoria Nutricional, 2017)

CULTIVO ORGÂNICO e/ou AGROECOLÓGICO:

Alimento orgânico é aquele cultivado dentro de um sistema de produção que não utiliza substâncias químicas que representam risco à saúde humana e ao meio-ambiente, como fertilizantes químicos a agrotóxicos. As práticas de manejo orgânico, utilizam adubos orgânicos e técnicas de cultivo baseadas em conceitos agroecológicos, com rotação de culturas, controle biológico do ecossistema e utilização sustentável do solo, água e demais recursos naturais.

CULTIVO BIODINÂMICO:

Agricultura biodinâmica é uma forma alternativa de agricultura orgânica, que mescla conhecimentos químicos, geológicos e astronômicos. Inclui conceitos formados a partir de ideias de Rudolf Steiner (1861–1925). Desenvolvida na Contemporaneidade na década de 1920 (acredita-se que esta forma de agricultura fora utilizada antes, por povos ancestrais), este foi o primeiro movimento de agricultura orgânica atual reconhecido. Ela trata a fertilidade do solo, crescimento das plantas, e os cuidados da pecuária como tarefas ecologicamente inter-relacionadas, enfatizando as perspectivas espirituais e químicas.

 

AGROFLORESTA:

"A Agrofloresta ou Agricultura sintrópica se baseia nos sistemas naturais para a produção de alimento. O funcionamento de uma floresta é um sistema muito inteligente. Toda vida dentro desse ecossistema está equilibrada. 

OS SAF- Sistemas Agroflorestais são baseados na sucessão natural que já ocorre no ambiente, e assim conseguem regenerar áreas muito degradadas. Nesse cultivo parte-se do princípio de que quanto maior é o acúmulo de biomassa no solo para o desenvolvimento de fungos e bactérias benéficas e para gerar nutriente para a vegetação, mais alimento, consequentemente mais vida, esse sistema irá suportar. Assim quando temos uma floresta produtiva em abundância e muita biomassa acumulada, ela exporta vida, surgindo nascentes. 

Ernest Gotsch é um dos precursores da Agricultura Sintrópica e uma das frases dele é: "Água também se planta".

Dentro da lógica dessa agricultura, planta-se para alimentar as pessoas, mas também para alimentar o sistema como todo, ocorrendo assim podas constantes e derrubada da biomassa no solo para que o aporte e a durabilidade dessa matéria seja eficaz e garanta nutrientes e umidade ideais. Por isso dentro do SAF não há insumos externos. Todo cultivo é adubado com a própria matéria gerada no sistema, assim como é o funcionamento de uma floresta. Ela se auto

alimenta.

Sendo assim, a produção de alimento dentro de sistemas agroflorestais é uma das mais eficazes que existe, pois, além de produzir alimento para as pessoas, produz alimento para o sistema, criando assim uma das formas de agricultura mais regenerativas que existe até hoje."

Julhiana Costal - ArboreSer

AGRICULTURA URBANA:

Se refere a produção de alimentos no ambiente urbano e periurbano. Apresenta como vantagens: acesso a hortaliças sem agrotóxicos e de baixo custo; reconexão com a natureza; qualidade de vida, aumento da biodiversidade na cidade, redução do descarte de matéria orgânica, vida em comunidade (hortas comunitárias), apropriação do espaço público, aumento da resiliência das cidades e melhora na qualidade atmosférica

(Curso de Agricultura Urbana – Arboreser)

 

COMPOSTAGEM:

Da terra para a terra: O ciclo completo

Os benefícios do Composto Orgânico são: melhora das propriedades físicas, químicas e biológicas da terra; maior estabilidade e resistência à erosão, pois junto com a parte mineral se formam torrões pequenos; retenção de água e armazenamento de nutrientes, para que possam ser disponibilizados lentamente, equilibrando a vida no solo e redução do lixo urbano* (*composteira doméstica)

(Curso de Agricultura Urbana – Arboreser)

TRANSGÊNICOS:

São organismos geneticamente modificados (OGMs), que foram produzidos por meio da transferência de genes, geralmente, entre espécies diferentes. São organismos manipulados em laboratório, já que em ambiente natural, espécies diferentes não se cruzam. O objetivo é incorporar nesses organismos uma ou mais características desejadas de outras espécies, como por exemplo a resistência a pragas*, agrotóxicos, doenças.

*importante mencionar que o termo pragas é erroneamente utilizado, uma vez que seu aparecimento é consequência do desequilíbrio causado na natureza por interferência do homem.

 

PANC:

PANC são as plantas alimentícias não convencionais. Se referem as plantas pouco consumidas e conhecidas pela população.  Essas plantas (frutos, folhas, flores, rizomas, sementes, etc) podem ser consumidas pelo homem, cruas e/ou após preparo culinário e apresentam propriedades como proteínas, fibras, vitaminas, minerais e compostos bioativos.

Elas brotam espontaneamente entre as plantas cultivadas ou em locais em que teoricamente não haveria condições para se desenvolverem pois apresentam uma alta capacidade de adaptação a diversas condições ambientais. Cada região brasileira tem uma predominância de PANC específica, que juntas, compõe mais de 350 espécies já identificadas.

Além das propriedades que elas apresentam, o consumo de PANC valoriza a biodiversidade brasileira e a agricultura familiar, importante pilar de uma alimentação sustentável, que cuida do meio-ambiente e das condições de alimentação e nutrição da população.

Alguns exemplos de PANC são:

Baru | Taioba | Fisális | Beldroega | Capuchinha | Sorgo | Ora-pro-nobis 

 

Nutrientes e Compostos Bioativos

(Adaptado de Compostos Bioativos dos Alimentos -  VP Editora, 2015)

É importante que os alimentos que você escolha para consumir tenham propriedades e/ou funções dentro do seu organismo, pois são eles que vão orquestrar o seu funcionamento. A composição da sua alimentação refletirá na sua composição interna, na sua formação e atividade celular. Paralelo aos nutrientes (proteínas, carboidratos, gorduras, minerais e vitaminas), as fibras e a água existem os compostos bioativos.

Compostos bioativos são substâncias presentes nos alimentos de origem vegetal (raízes, folhas, brotos, sementes, frutas, grãos, legumes, flores, etc) que apresentam propriedades importantes, contribuindo para um melhor estado de saúde, funcionamento dos órgãos e até prevenção e tratamento de doenças crônicas.  O mecanismo de ação pode estar relacionado a função antioxidante e/ou anti-inflamatória, a modulação da expressão gênica ou alterações epigenéticas.

​Alguns exemplos de compostos bioativos são:

  • Flavonóides (uva, açaí, cacau, amendoim, cebola, laranja)

  • Catequinas (chá verde e branco)

  • Carotenóides (abóbora, batata doce, cenoura, tomate, goiaba, pitanga)

  • Glicosinolatos (brócolis, couve-flor, couve manteiga, agrião, mostarda, couve de bruxelas)

  • Organossulfurados (alho e cebola)

 

Mindful Eating

(Adaptado de: Centro Brasileiro de Mindful Eating www.mindfuleatingbrasil.com.br)

Mindful Eating é uma habilidade, uma característica psicológica que pode ser desenvolvida pelo ato de estar atento ao comer com abertura e aceitação. É comer com atenção plena.

Comida é uma das raízes principais do bem estar mental e físico. Ao construir um melhor relacionamento com a comida podemos criar um melhor relacionamento conosco e com o mundo. Através das técnicas do minfdul eating você pode desenvolver importantes pontos, tais como:

  • Direcionar sua atenção para comer momento a momento.

  • Ganhar consciência de como pode fazer escolhas que suportem a saúde e o bem estar.

  • Se tornar consciente da interligação de terra, os seres vivos, das práticas culturais e o impacto de suas escolhas alimentares nesses sistemas.

  • Permitir a si mesmo a tornar-se consciente das oportunidades positivas e carinhosas que estão disponíveis através da seleção e preparação dos alimentos, respeitando a sua própria sabedoria interior.

  • Se tornar consciente da fome e saciedade físicas para guiar suas decisões para começar e parar de comer

©2017 por Debhora Medeiros. Todos os direitos reservados.

  • White Instagram Icon